Projeto “Dar mais Memória à Memória”

Dar mais Memória à Memória é um projeto inovador no combate à demência, apostando na promoção do conforto e bem-estar dos clientes, criando recetividade para receber a estimulação neurossensorial e somatossensorial. A estimulação neurossensorial explora os cinco sentidos, mediante uma panóplia de atividades, procurando optimizar o potencial psicointeletual do indivíduo. A estimulação somatossensorial permite experimentar sensações (tato, pressão, vibração, posição dos membros, calor, frio, entre outros), através de sensores distribuídos pelo corpo humano.

Este projeto tem como objetivo prevenir, retardar e estabilizar estados demenciais, proporcionando uma melhor qualidade de vida. Trata-se de uma iniciativa pioneira que utiliza uma multiplicidade de estímulos, congregando uma panóplia de atividades físicas e mentais, distribuidas por diversos espaços interiores e experiores. Esta serão adaptadas de forma simples, para que os indivíduos se sintam motivados e envolvidos, tendo em conta as características individuais de cada um.

Dar mais Memória à Memória reune uma série de estratégias, consideradas essenciais para o desenvolvimento do projeto:

*Acompanhamento, monitorização e avaliação permanente por uma equipa multidisplinar de saúde;

*Terapias alternativas e naturais como a Naturopatia, Cromoterapia, Reiki, Aromaterapia, entre outras.

*Ginásio psicofísico e piscina interior para reabilitação do corpo e mente;

*Quartos neurossensoriais com mobiliário adaptado e estimulos de diversos ambientes;

*Atividades de estimulação, entre as quais a arte neurossensorial em paredes e portas;

*Espaços ao ar livre para permitir um maior contacto com a natureza.

A conjugação de várias estratégias e terapias trarão inúmeros benefícios:

*Estimulação das funções cognitivas, da memória, da criatividade e das Atividades de Vida Diária;

*Aumento da autonomia, da capacidade de locomoção e da assertividade comunicacional;

*Promoção da orientação espacial e do equilíbrio;

*Redução do consumo de fármacos e das deslocações ao hospital;

*Diminuição de estados depressivos, de ansiedade, agressividade e agitação, assim como dos períodos de desorientação e de confusão;

*Anulação do isolamento social;

*Decréscimo de problemas sociais e económicos do familiares/cuidadores e Serviço Nacional de Saúde.